Mapa do Site

Amadora reconhecida como Centro de Resiliência pelas Nações Unidas

O certificado de reconhecimento foi entregue por Octavian Bivol, Chefe do Gabinete Regional da UndRR para a Europa e Ásia Central, a Luís Lopes, Vereador da Câmara Municipal da Amadora, com o pelouro da Proteção Civil.
Amadora reconhecida como Centro de Resiliência pelas Nações Unidas

A cidade da Amadora recebeu hoje (22 de novembro) o reconhecimento pela sua liderança na ação climática e resiliência, comprometendo-se a partilhar a sua experiência na adaptação inclusiva às alterações climáticas com outros municípios de todo o mundo.

Numa reunião oficial realizada em Bruxelas, o Gabinete das Nações Unidas para a Redução de Riscos de Desastres (UNDRR) e os seus parceiros na colaboração global Making Cities Resilient 2030 (MCR2030) acolheram a Amadora como um dos seus Centros de Resiliência.

Este reconhecimento significa que a cidade, que tem uma população de quase 200.000 pessoas, tem um histórico estabelecido na redução e resiliência do risco de desastres e está empenhada em apoiar e orientar outros municípios do MCR 2030.

O certificado de reconhecimento foi entregeu por Octavian Bivol, Chefe do Gabinete Regional da UndRR para a Europa e Ásia Central, a Luís Lopes, Vereador da Câmara Municipal da Amadora, com o pelouro da Proteção Civil.

Ao receber este importante reconhecimento, a Amadora torna-se o 9º Centro Europeu de Resiliência MCR2030, juntando-se a outras cidades europeias como Barcelona, Greater Manchester, Milão, Helsingborg, Malmö, Matosinhos, Província de Potenza e Wroclaw.
A nível global, a Amadora é a 17ª cidade a receber tal reconhecimento.

O compromisso da cidade portuguesa com a redução do risco de desastres através do MCR2030 ajuda a impulsionar a crescente rede de cidades e parceiros do MCR2030 dedicados à resiliência de desastres.

Mais informação sobre a Campanha Local 2020-2030 ”Amadora. Liga à Resiliência”