Mapa do Site

Amadora cede terrenos para habitação de Agentes da PSP e reforça Sistema de Videoproteção

Amadora cede terrenos para habitação de Agentes da PSP e reforça Sistema de Videoproteção

Cerimónia contou com a presença do Ministro da Administração Interna

Foi hoje (20 de janeiro) assinado o contrato no qual o Município da Amadora cede três lotes de terreno, na freguesia de Mina de Água, aos Serviços Sociais da PSP, que irão permitir a construção de casas de coabitação social para os agentes que no exercício das suas funções se encontrem deslocados da sua residência habitual.
Na mesma sessão, que decorreu no Salão Nobre dos Recreios da Amadora, foi ainda firmado o memorando de entendimento entre a autarquia e o Ministério da Administração Interna, para a instalação da 3.ª fase dos sistemas de videoproteção no concelho da Amadora.

O Ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, realçou o objetivo de manter Portugal como um dos países mais seguros do mundo e de como as respostas políticas públicas são importantes para esse fim.
Destacou a relevância do que foi hoje assinado para a dignificação da atividade profissional e para a melhoria geral das condições de vida dos polícias e evidenciou o pioneirismo da Amadora, já que é o primeiro município da AML (Área Metropolitana de Lisboa) e da AMP (Área Metropolitana do Porto) a assinar a cedência de terrenos visando a construção de casas de coabitação social para os agentes deslocados.
A Amadora vai ser novamente precursora no âmbito da 3ª fase dos sistemas de videoproteção, com sistemas de alarmística, uma inovação em termos tecnológicos que “permitirá identificar um conjunto de riscos e no qual o sistema emite alertas para os agentes da autoridade”, explicou o governante.

“Hoje é mais um dia importante para a cidade da Amadora”. Foi desta forma que Carla Tavares, Presidente da Câmara Municipal da Amadora sublinhou a importância deste ato, agradecendo à PSP todo o trabalho que tem desenvolvido a nível concelhio em prol da segurança dos amadorenses, tendo ainda destacado o policiamento de proximidade junto dos seniores e a Escola Segura no âmbito da comunidade escolar.
A autarca considerou que é imperativo que os agentes tenham um local digno para descansarem, situação que ficará salvaguardada com a construção naqueles lotes de terreno de 3 edifícios com um total de 113 alojamentos de diferentes tipologias – valores avançados na sessão pelo Diretor Nacional Adjunto da Unidade Orgânica de Operações e Segurança da PSP, superintendente-chefe Constantino Ramos.
No verão de 2023, estão previstas mais 38 câmaras de videoproteção na cidade, perfazendo 141. A presidente da autarquia sublinhou a importância da videoproteção para o município, pois representa um “incremento do sentimento de segurança para a nossa população”, adiantando que durante este ano, serão promovidos os procedimentos com vista à instalação da 3ª fase dos sistemas de videoproteção.
A Câmara Municipal da Amadora continua empenhada em “fazer cada vez mais e melhor pelos amadorenses”, finalizou a presidente.