Mapa do Site

20 anos do "Aprender & Brincar" comemorados na Amadora

20 anos do "Aprender & Brincar" comemorados na Amadora

No dia 21 de setembro, o Cineteatro D. João V acolheu a cerimónia comemorativa dos 20 anos do programa "Aprender & Brincar" na Amadora.

Ao longo da sessão, foram feitas diversas intervenções pelos oradores convidados, no âmbito das temáticas "Políticas Públicas de Apoio à Família" e "A criança no centro de prioridade”.
No final, foi prestado reconhecimento público às treze (13) entidades parceiras da Câmara Municipal da Amadora neste programa.

A iniciativa contou com a presença de diversas personalidades, nomeadamente da Ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, da Reitora do ISCTE-IUL, Maria de Lurdes Rodrigues, e de Frederico Lopes, doutorado em motricidade humana. Intervieram ainda o psicólogo José Miguel Oliveira, Ana Filipa Silva, Presidente da Associação de Pais dos Moinhos da Funcheira e Carlos Azevedo, Capelão do Hospital D. Estefânia.

A Presidente da Câmara Municipal da Amadora, Carla Tavares, anfitriã da cerimónia, destacou a importância daquela noite, que para si, como autarca, “tem um significado muito, muito especial”.
“A componente de apoio à família permitiu-nos avançar com toda a comunidade educativa e fazer um grande caminho. E veio o inglês no 1.º ciclo, e depois as AEC ´s, que nos permitem ter hoje uma escola pública de qualidade. Não foi um processo fácil, são atualmente mais de 3000 crianças envolvidas (na Amadora), mas todos acreditaram que este devia ser o caminho”, sublinhou a autarca, que continuou a sua intervenção referindo que a escola se reinventou e que tem sempre presente a missão de educar e ensinar.
“A educação é o futuro, e o futuro da Amadora só pode estar na educação. É o melhor investimento que podemos fazer na cidade”, concluiu Carla Tavares

Mariana Vieira da Silva, Ministra da Presidência, destacou a importância da Escola a Tempo Inteiro, porque é um exemplo da resposta que o país tem dado ao nível dos desafios relativos às qualificações, às desigualdades e à demografia.
Este projeto deve ainda ser celebrado pela persistência, porque foi preciso muito tempo de Escola a Tempo Inteiro para que começassem a existir diferenças ao nível dos indicadores.
“O programa representa um nova fase de relação das autarquias e da escola, onde a Amadora foi pioneira, com uma autêntica política de família”, frisou a governante.

“A Escola a Tempo Inteiro não é apenas a extensão do horário das escolas. O seu lançamento surgiu com a ligação a projetos que já existiam em várias autarquias, como o Aprender & Brincar, na Amadora”, destacou Maria de Lurdes Rodrigues, Reitora do ISCTE-IUL.
Referiu ainda que “a escola é o espaço mais qualificado, é o espaço que as famílias mais confiam. O centro é a escola, e todos são chamados e mobilizados para a concretização deste projeto”.
Para a antiga ministra da educação, a melhoria sucessiva da Escola a Tempo Inteiro é fruto da política de proximidade das autarquias. Sem isso, “não haveria sucesso desta medida”.

“Brincar e aprender não são dois conceitos diferentes”, começou por dizer Frederico Lopes, doutorado em motricidade humana, adiantando que “no brincar há aprender e no aprender há brincar!”
A sua intervenção baseou-se na importância de devolver a cidade às crianças e de que é imprescindível que as crianças tenham prazer em brincar.
“A escola deve ser amiga do brincar, deve apoiar o brincar. As crianças tratam a vida por “tu” enquanto estão a brincar”, concretizou.

Na 2.ª parte da sessão, subordinada à temática “A criança no centro de prioridade”, José Miguel Oliveira referiu que se valoriza muito o aprender e subvaloriza-se o brincar, e que o brincar necessita de liberdade, escassez de recursos, ócio e tédio.
“Liberdade para experimentar, para ousar. A escassez sempre foi o motor da inovação, da criatividade. Um simples pedaço de madeira pode ser uma espada, por exemplo.
O ócio é fundamental para pensarmos em coisas que nunca foram pensadas. É sinónimo de relaxamento, de tempo.
O tédio é importante, porque se alguma coisa já me aborrece, vou fazer de outra maneira”, explicou o psicólogo.

Para Ana Filipa Silva, Presidente da Associação de Pais dos Moinhos da Funcheira e com dois filhos a frequentar o programa “Aprender & Brincar”, o grande desafio prende-se com a diferenciação e equilíbrio que a componente de apoio à família deve ter, ou seja, não pode ser uma continuidade do tempo letivo nem um “depósito” de crianças.
Salientou ainda a dedicação, o profissionalismo e até a “carolice” dos profissionais do Aprender & Brincar, sem esquecer a importância e a diferença que este programa tem feito na vida das famílias e das crianças do município.

Para Carlos Azevedo, Capelão do Hospital D. Estefânia, todas as competências que o brincar dá são essenciais, pois ao brincar, aprendemos a ganhar, a perder, a amar, sendo fundamental “termos tempo para acompanhar as crianças”.
Até o que é aparentemente inútil é importante no brincar, defende o sacerdote, salientando ainda que a gratidão tem aqui um papel relevante, porque “a gratidão faz-nos reconhecidos, e quem é grato, reconhece a importância da sua vida”.


Sobre o Programa "Aprender & Brincar"
O "Aprender & Brincar" é um programa criativo e dinâmico, para crianças a frequentar Jardins de Infância e Escolas de 1º ciclo da Rede Pública do concelho da Amadora.
Tem como objetivo apoiar as famílias, possibilitando a permanência dos seus educandos na escola fora do horário letivo e durante as férias escolares.
Pretende-se que seja uma resposta partilhada, fundamental para o acompanhamento e desenvolvimento dos alunos, garantindo que os tempos de permanência das crianças sejam de enriquecimento das aprendizagens, e de brincadeiras, associadas à aquisição de competências, fora do horário letivo e nas interrupções letivas.