Mapa do Site

Remoção de amianto avança em escolas da Amadora

Remoção de amianto avança em escolas da Amadora
Remoção de amianto avança em escolas da Amadora

Entrou ontem (24 de junho) em vigor o despacho conjunto dos Ministros da Educação e da Coesão Territorial que determina os equipamentos escolares onde vão ser retirados materiais com amianto.

A remoção de fibras de amianto vai ser feito ao abrigo de um programa nacional que custará 60 milhões de euros e será financiado por verbas comunitárias. No caso da Amadora, será totalmente suportado pelo Programa Operacional Lisbo@ 2020.

Na Amadora, e de acordo com este despacho, vão ser removidas estruturas de amianto nos seguintes equipamentos escolares:
- Escola Básica Artur Martinho Simões;
- Escola Básica D. Francisco Manuel Melo;
- Escola Básica do Alto do Moinho;
- Escola Secundária da Amadora;
- Escola Secundária Fernando Namora.

Para além destes estabelecimentos educativos, vai ainda avançar este ano, com investimento municipal e comunitário, a remoção nas escolas de 2.º e 3.º ciclo de Alfornelos, José Cardoso Pires, Pedro D’Orey da Cunha, Almeida Garrett e Cardoso Lopes.

Com estas intervenções, todas as escolas da rede pública da cidade passam a cumprir os requisitos do quadro normativo nacional. Ao longo dos últimos anos, a Câmara Municipal da Amadora tem realizado um forte investimento na requalificação e modernização do seu parque escolar, o que permitiu proceder, gradualmente, à remoção do amianto.

Recentemente, foram intervencionadas as escolas do 2.º e 3.º ciclo Miguel Torga, Sophia de Mello Breyner Andersen, Mães de Água e Roque Gameiro, e as Escolas Básicas do 1.º ciclo / Jardins de Infância José Ruy, Águas Livres, Terra Dos Arcos, Alice Leite, Maria Emília Lopes de Azevedo, Quinta Grande, Alfragide 1, À-Da-Beja, Manuel Heleno e Cerrado da Bica.