Mapa do Site

Este teatro também é para velhos

Este teatro também é para velhos

Realizou-se, nos dias 8 e 9 de outubro, mais um encontro do Teatro de Identidades, como forma de marcar o arranque do ano letivo, e do qual fizeram parte debates, workshops, apresentação de peças e o convívio entre os muitos idosos que integram este projeto.

Um projeto que é extremamente importante, uma vez que 23% da população da Amadora tem mais de 65 anos, e que "serve para a partilha de sentimentos e de vida, sendo uma mais-valia social e clínica, dado que não só permite trabalhar a confiança e a auto-estima dos idosos, mas também a sua memória", defendeu a Vereadora do Desenvolviemnto Social. Para Susana Nogueira, este é um projeto "no qual a Câmara Municipal irá, com certeza, continuar a investir".

Passados 7 anos, é notória a mudança positiva na vida destas pessoas. Rita Wengorovious, a responsável pelo projeto, destaca uma iniciativa que lhe permite fazer "investigação-ação", ao mesmo tempo que ajuda pessoas através do "envelhecimento criativo".
Para esta professora e investigadora da Escola Superior de Teatro e Cinema - que se situa na Amadora - o Teatro de Identidades "ajuda no estímulo da memória e do corpo, motiva o exercício físico e combate a depressão", problema muitas vezes associado a esta camada da população.

Sobre o projeto
O Teatro de Identidades é uma parceria entre a Câmara Municipal da Amadora, a Escola Superior de Teatro e Cinema e a Associação dos Amigos da Escola Superior de Teatro e Cinema. É desenvolvido desde o ano letivo de 2012/2013, em Centros de Dia e Centros de Convívio destinados a seniores. Os intervenientes têm entre os 50 e os 95 anos e, apesar da heterogeneidade do grupo, muitos padecem de enfermidades decorrentes da idade, como Alzheimer e Demência.

Os artistas pedagogos são mestrandos de Teatro e Comunidade, e desenvolvem sessões semanais de teatro, movimento coreográfico, voz e canto. Estas sessões são dinamizadas em 5 Instituições Particulares de Solidariedade Social, envolvendo atualmente cerca de 90 pessoas.

Além destas atividades que são realizadas fora de casa, existe ainda o Teatro em Casa, que teve início no ano letivo 2015/2016. É dinamizado no domicílio de 6 agregados familiares, compostos por seniores isolados e em situação de dependência física.