Mapa do Site

Amadora aposta no combate ao VIH e SIDA

Amadora aposta no combate ao VIH e SIDA

O Município da Amadora aprovou no dia 19 de fevereiro de 2020 o Plano Estratégico Local para a Intervenção na área do VIH e SIDA 2019-2025.
Através deste plano, pretendemos acabar com a epidemia de VIH e SIDA e evitar mortes relacionadas com a SIDA, incluindo as causadas por tuberculose. A sua ação pretende acabar com o estigma e a discriminação, possibilitar o acesso à prevenção, aos serviços de apoio, aos cuidados de saúde e aos tratamentos para o VIH e SIDA e a tuberculose.

No período de 2013 e 2017, o município da Amadora, apresentou uma taxa média de 30,9 novos diagnósticos de HIV por 100.000 habitantes, sendo a segunda mais elevada entre as observadas nos municípios do país.
Assim, a 10 de outubro de 2018 a Câmara Municipal da Amadora assinou a Declaração de Paris, associando-se à iniciativa internacional “Fast Track Cities – cidades na via rápida para acabar com a epidemia de VIH”.

Com a adesão da cidade da Amadora à Declaração de Paris, a parceria iniciou de imediato um processo de diagnóstico local sobre o VIH e SIDA no Concelho, reconhecendo que este seria fundamental à elaboração de um plano de ação adequado e capaz de responder às necessidades do território e da população. Esta caracterização, coordenada pelo Agrupamento de Centros de Saúde da Amadora, procurou assegurar a recolha dos dados quantitativos disponíveis, recorrendo à parceria local (ACES Amadora, Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca e AJPAS) e a entidades estratégicas com competência na matéria, nomeadamente o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge IP e a Direção Geral de Saúde.

Entre 1 de janeiro de 2010 e 31 de dezembro de 2017, 565 indivíduos tinham diagnóstico notificado. Destes, 19 indivíduos foram excluídos por serem considerados população pediátrica. Dos indivíduos analisados, 57% dos casos eram homens, sendo que tal contrasta com os 70% observados a nível nacional. A média de idade na Amadora era de 41,4 anos, que se compara com os 40,6 anos dos casos agregados a nível nacional.

Neste contexto, foi elaborado o Pacto Local para a intervenção na área do VIH e SIDA na Amadora, subscrito formalmente no dia 8 de abril de 2019 por entidades públicas e privadas com atuação e responsabilidade no combate ao VIH e SIDA, com quem partilha uma visão estratégica, princípios de atuação e um compromisso para a ação até 2025.

O presente Plano Estratégico Local para a Intervenção na área do VIH e SIDA 2019-2025 espelha um trabalho colaborativo pelas entidades signatárias, mas tendo na sua agenda o envolvimento da rede social local. O seu período de vigência terminará no ano de 2025, para que esteja articulado com o PDSS local.

O Plano Estratégico Local foi dividido em 3 eixos de atuação, a saber:

Eixo 1 – Prevenção primária: Promover ações de prevenção universal do VIH, SIDA e hepatites, dirigidas à comunidade da Amadora e/ou a organizações de base comunitária, à população jovem da Amadora e aos consumidores de substâncias ilícitas intravenosas da Amadora;

Eixo 2 – Capacitação da parceria: Dotar os profissionais de saúde e os profissionais das organizações de base comunitária para a intervenção concertada no VIH e SIDA na Amadora; dotar de competências para a intervenção concertada no VIH e SIDA na Amadora;

Eixo 3 – Rastrear e acompanhar a comunidade: Aumentar o número de rastreios ao VIH realizados e o número de pessoas em tratamento na Amadora; criar medidas potenciadoras do tratamento hospitalar do VIH na Amadora; assegurar o acompanhamento do Fast Track Cities pela Rede Social da Amadora; contribuir para o desenvolvimento das políticas públicas de intervenção no VIH e SIDA; promover a partilha de experiências e troca de saberes sobre a intervenção desenvolvida no âmbito do Fast Track Cities Amadora.