Mapa do Site


todos   atividades   desporto   encontros   espetáculos   exposições   infantojuvenil   outros  

Detalhes

Início:23/10/2021 16:30

Descrição

A Biblioteca Municipal Fernando Piteira Santos acolhe, no dia 23 de outubro (sábado), a partir das 16h30, no Auditório Rogério Rodrigues, a apresentação do livro “Joaquim Raposo: o homem por detrás do acordeão”, da autoria de Luís Cara D’Anjo.

Esta iniciativa pretende homenagear Joaquim Raposo, professor de acordeão e compositor de música para acordeão convencional, que completará, no dia 22 de outubro, 90 anos de idade.
 
A apresentação do livro estará a cargo do seu autor, Luís Cara D’ Anjo, e da jornalista Fernanda Mestrinho e contará com um momento musical, a cargo do grupo Acordeão Ensemble.
 
A lotação está esgotada para a apresentação do livro.
 
Sobre | Joaquim Raposo
Joaquim Raposo é professor de acordeão e compositor de música para acordeão convencional. Nasceu no Alentejo, na aldeia do Ciborro (Montemor-o-Novo) no dia 22 de outubro de 1931. A sua relação com a música e com o instrumento começa muito cedo: filho de acordeonista profissional recebe em casa a primeira formação musical e aos 11 anos começa a atuar em duo com o pai.
Com 13 anos faz as primeiras atuações a solo, dando início a uma carreira exclusivamente dedicada à música e ao acordeão. Aos 16 anos, em Montemor, ingressa no grupo liderado pelo pianista Pinto Sá, com o qual desenvolveu a prática do instrumento, nomeadamente ao nível da interpretação. Nessa altura, Joaquim Raposo começa a evidenciar-se como acordeonista tendo tocado com os nomes mais sonantes de então: Eugénia Lima, Fernando Ribeiro e Vitorino Matono, com o qual faz algumas lições de aperfeiçoamento.
A sua evolução como músico, sem frequentar nenhum curso ou escola, é fruto de um trabalho incessante de autodidata. Teve também algumas lições particulares com o Capitão Músico Fonseca, com quem aprende noções de contraponto e composição. Seguiu o "Método Completo per Fisarmonica" do mestre italiano Anzaghi, que comprou ao Fernando Ribeiro, numa altura em que não havia em Portugal publicações para a aprendizagem do acordeão. Importantes para a sua formação foram também as partituras para acordeão que o pai comprava quando ia a Lisboa (na altura havia muito "musette francês" e também algumas peças de concerto transcritas do piano).
Em 1962, participou no 1.°Festival Português de Acordeão e, na categoria de sénior, obtém o 2.° lugar.
Nesse mesmo ano, deixa o Alentejo e radica-se na cidade da Amadora. A convite do Professor Matono, inicia-se no ensino do acordeão, no Instituto Vitorino Matono, onde ainda hoje, passados 47 anos, se encontra a lecionar.
Trabalhou com alunos de mérito, nomeadamente Aníbal Freire, Arlinda Morais, Maria João Cunha, Pedro Miguel Santos, entre muitos outros. Dá também a primeira formação musical ao filho António Rosado, que se evidenciou na infância como acordeonista, mas acabou por seguir o curso de piano, no Conservatório de Lisboa, dando início à sua brilhante carreira como pianista.
Tem frequentado cursos e Masterclasses de acordeão, com mestres internacionais, nomeadamente a alemã Elisabeth Mozer, os russos Oleg Sharov e Semionov, o ucraniano Vladimir Zubitsky e com o americano Peter Soave.
Formou em 2001 o grupo "Acordeão Ensemble", um septeto de acordeões que desenvolveu maioritariamente um reportório erudito, do qual fazem parte algumas peças suas, escritas propositadamente para a formação.
Participou como membro de júri em vários concursos internacionais de acordeão onde se destacam: 1983 - Caracas - Troféu Mundial de Acordeão e o Concurso de Acordeão de Alcobaça nos anos de 1994 e 1999.
As composições que constituem os dois volumes agora editados, com o apoio da Câmara Municipal da Amadora, nunca foram anteriormente publicadas, sendo este assim um marco importante na carreira de Joaquim Raposo e um evidente reconhecimento do seu trabalho e da sua obra.
 
Clique na imagem abaixo para conhecer o cartaz desta iniciativa
 
 cartaz joaquimraposo 200

Local

Maior Menor