Mapa do Site

Séculos XVII a XIX – Agricultura e Lazer

Séculos XVII a XIX – Agricultura e Lazer

A área do atual Município da Amadora era caracterizada nestes séculos pelos grandes campos de trigo e pelas casas apalaçadas.

As profissões mais representativas nesse território eram os lavradores, moleiros, padeiros, almocreves e operários de indústrias manuais, que trabalhavam a terra, faziam o pão e abasteciam a capital de produtos agrícolas.

 Ponte FilipinaNo Século XVII (1631), foi construída uma Ponte Filipina, que na altura fazia a ligação entre a Freguesia de Benfica-Extramuros e Queluz, transpondo a Ribeira de Carenque no atual território da Amadora.

Cerca de um século mais tarde, em 1732, foi iniciada a construção do Aqueduto Geral das Águas Livres.

A vertente industrial florescia na zona. Prova disso é a fundação, no Século XIX (1832) da Fábrica de Espartilhos Santos Mattos & Companhia.

Aqueduto das Águas LivresViviam-se tempos de prosperidade, não só ao nível do desenvolvimento industrial, mas também na construção de novas ruas e estradas.

Em 1887, com a inauguração da linha de caminho de ferro para Sintra, surge o primeiro surto de construção nos principais núcleos existentes (Alto do Maduro/Porcalhota, Amadora/Venteira), que se vão ligando entre si através de uma estrutura de ocupação linear.