Notícias

Primeiro encontro do projeto Arrival Cities lança sementes para trabalho futuro

Amadora, 02 de Novembro 2015

arrival_cities_out2015_650.png

 

Decorreu nos passados dias 28 e 29 de outubro na cidade da Amadora, a primeira reunião de trabalho com as cidades que integram o projeto Arrival Cities.
Foram dois dias de trabalho intenso, onde os representantes das cidades de Vantaa (Finlândia), Thessaloniki (Grécia), Riga (Letónia), Roquetas de Mar (Espanha), e da Amadora – que lidera esta parceria – tiveram oportunidade de se conhecer e de partilhar as suas experiências de apoio e integração de imigrantes, além do enorme desafio que constitui o apoio aos refugiados. Do projeto faz ainda parte a cidade de Messina (Itália), que não esteve presente neste primeiro encontro.
As sessões serviram igualmente para definir metodologias de trabalho e orientar já o próximo encontro presencial, que irá decorrer no mês de fevereiro em Riga, na Letónia.
 
Para a presidente da Câmara Municipal, que encerrou os trabalhos, “trabalhar estes assuntos na cidade da Amadora tem sido muito profícuo em diversas áreas como a justiça ou a saúde”. Carla Tavares assumiu que “estes projetos são extremamente enriquecedores, muito devido à partilha de experiências com outras cidades e o projeto Arrival Cities é deveras importante para a Amadora, uma vez que o desafio de trabalhar com as comunidades imigrantes é um desafio enorme.”
 
O projeto Arrival Cities
Este projeto, cofinanciado pelo URBACT III, tem como objetivo geral a formação de uma rede de parceiros em diferentes Estados-Membros para que participem num programa de intercâmbio transnacional, facilitador da transferência de políticas e práticas relacionadas com os desafios colocados pelos fluxos migratórios (imigração) e pela emergência de novas formas de migração e mobilidade, com reflexos na estrutura das populações e nas interações entre indivíduos e grupos sociais.
 
Nesta primeira fase, pretendeu-se tomar contacto com as realidades existentes nas várias cidades participantes, bem como os projetos já desenvolvidos em cada uma delas, com vista a encontrar pontos comuns, que permitam o desenvolvimento de estratégias de atuação para a elaboração de um plano de ação local, que será implementado numa fase posterior.
 
 
A experiência da cidade da Amadora
O tema da imigração e da interculturalidade tem sido uma aposta da cidade da Amadora, que lançou em 2014 a campanha Não Alimente o Rumor, com o objetivo de combater determinados preconceitos estereotipados, que levam muitas vezes a atos discriminatórios, e cuja característica fundamental foi a participação ativa dos cidadãos como "agentes anti rumores".
 
Integrada no projeto C4i (Communication for integration: social networking for diversity), promovido pelo Conselho da Europa, nesta campanha foi privilegiada a utilização de redes sociais e canais de informação virais para passar informação correta sobre a imigração e a diversidade e combater mitos e equívocos infundados (mas generalizados), que colocam em risco a coesão social.
Assim, foram criadas “redes anti rumores” envolvendo instituições públicas e privadas, nomeadamente administração local e central, escolas, associações locais, ONG, órgãos de comunicação social e cidadãos, convidando-os a serem agentes “anti rumores”. Para o efeito, realizaram-se atividades de sensibilização e informação inovadoras e participativas.