Mapa do Site

Pacto Local para o Envelhecimento Sustentável conta com mais parceiros na Amadora

Pacto Local para o Envelhecimento Sustentável conta com mais parceiros na Amadora

Decorreu no dia 14 de novembro, a assinatura do Pacto Local para o Envelhecimento Sustentável, por mais 15 parceiros que trabalham em áreas sensíveis para a população idosa da Amadora.

Com a presença da Presidente da Câmara Municipal da Amadora, Carla Tavares, e do Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, que encerrou a sessão, foram também apresentados os resultados preliminares do Plano, por parte de algus parceiros, bem como as considerações do que ainda há por fazer, desta feita por parte da equipa de investigadores do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas que colabora no projeto desde o início.

Pela Câmara Municipal, foi assumido pela Presidente da Câmara que o grande desafio é "pensar um futuro de cidade, onde os mais idosos sejam tidos em conta. Em que possam ser ouvidos os seus anseios e as suas preocupações." Carla Tavares destacou que a resposta ao envelhecimento da população da Amadora - 23% tem mais de 65 anos e, destes, 42% tem mais de 75 - é "algo que tem de ser trabalhado em rede, por todas as instituições da cidade, públicas e privadas, de forma a otimizar recursos que possam prestar cuidados a esta população."

A Amadora tem sido pioneira no trabalho desenvolvido em prol dos mais velhos, como salientou o Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. Para Vieira da Silva, "a Amadora soube valorizar o investimento na criação da Rede Social e potenciá-la através de um empenhamento no apoio aos seniores, tomando a liderança num projeto que integra entidades diferenciadoras no Concelho."

No âmbito do Plano Estratégico para o Envelhecimento Sustentável da Amadora (2016 – 2025), 51 parceiros da cidade assinaram, em 2016, o Pacto Local para o Envelhecimento. Nesta altura verificam-se novas adesões no trabalho dinamizado no âmbito do PEES, pelo que se oficializou essa parceria, através da assinatura do Pacto Local para o Envelhecimento.

Este documento, assenta numa carta de compromisso que define, entre outros, a participação na implementação de políticas para o envelhecimento, a colaboração na elaboração do Plano Estratégico para o Envelhecimento Sustentável da Amadora (2016 – 2025), a promoção de de desenvolvimento de práticas de serviços e programas, com vista a assegurar as respostas à população sénior, bem como a cooperação na sistematização de boas práticas, através da participação em iniciativas de reflexão.

Assinaram nesta data o Pacto Local para o Envelhecimento Sustentável:

  • AjFisio
  • Ass. Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Amadora
  • CheckHouse
  • Clinica de Sto. António - Lusíadas Saúde
  • Coop Linque - Cuidados Paliativos ao Domicílio
  • Cruz Vermelha Portuguesa - Delegação da Amadora
  • Decathlon Portugal
  • Diaverum Renal Services Group
  • Dolce Vita Teja - Investimento Imobiliário SA
  • Hospital Monsanto
  • Inovazul
  • ITAU
  • Leroy Merlin - BCM Bricolage SA
  • PAFHD Unipessoal Lda
  • Polimagem

 

Sobre o Plano Estratégico para o Envelhecimento Sustentável da Amadora – Enquadramento

O território concelhio da Amadora tem vindo ser marcado por um envelhecimento gradual da sua população, confirmando uma tendência demográfica mais vasta a nível nacional e europeu. Prevê-se neste contexto que, pelo menos até 2025, venha também a aumentar a população com idade igual ou superior a 75 anos. Este padrão evolutivo irá refletir-se num aumento acentuado das necessidades relativas a cuidados básicos, autonomia e saúde, designadamente as que mais diretamente se relacionam com quadros demenciais.

Porém, as características sociodemográficas e sociológicas da população com mais de 65 anos irão alterar-se ao longo deste período: esperam-se pessoas mais escolarizadas, mais conscientes da necessidade de incorporar hábitos saudáveis nos seus estilos de vida, mais intervenientes nas estruturas de participação associativa e cívica e politicamente mais exigentes quanto à transparência e racionalidade das decisões relativas ao bem público.

Com base nestes pressupostos, a Câmara Municipal da Amadora tem vindo a desenvolver uma série de projetos dirigidos à população sénior, mas surgiu agora a necessidade de elaborar uma plano ainda mais ambicioso e, mais importante, que pudesse envolver o maior número possível de entidades, públicas e privadas, que atuam no concelho, e com base nesta premissa: o idoso é um beneficiário de apoios e serviços sociais, mas também um cidadão ativo. Um recurso para a comunidade e um protagonista das políticas que lhe são dirigidas.